Interessado na Plataforma?

Telemedicina e Telerradiologia – Perspectivas em um cenário pós-pandemia

Interessado na Plataforma?

Compartilhe essa Publicação

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Telemedicina e Telerradiologia – Perspectivas em um cenário pós-pandemia

A Telemedicina e Telerradiologia já foram alvo de grande polêmica, por conta de alguns defenderem sua eficácia ou não. Na telemedicina, o motivo é o distanciamento entre médico e paciente, já que não há contato físico. Entretanto, essa medida foi regulamentada pelo Ministério da Saúde para auxiliar no atendimento e demais suportes na epidemia do Coronavírus.

A tecnologia já trouxe diversas transformações para empresas, indústrias e no dia a dia das pessoas. Agora, essa inovação está empregada diretamente no combate ao Coronavírus, a fim de colaborar para o difícil período pelo o qual o Brasil e o mundo passam hoje.

Saiba, neste post, mais sobre a Telemedicina e a Telerradiologia e o cenário pós-pandemia!

Como são aplicadas a Telemedicina e a Telerradiologia?

A Telemedicina consiste em uma prática que visa o atendimento médico, com base em tecnologia, com profissionais que atendem remotamente. Seja em triagem de atendimentos quando para consultas de retorno.

Já a Telerradiologia, é  voltada ao arquivamento e envio de exames de imagem, assim, o atendimento remoto se destina à elaboração de relatórios e diagnósticos.

Adesão à Telemedicina para combate a Covid-19

De acordo com a portaria do Ministério da Saúde, a Telemedicina será usada no “Atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico, por meio da tecnologia de informação e comunicação, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como na saúde suplementar e privada”.

A medida é provisória e visa atender a uma demanda pandêmica, causada pelo novo vírus. Isso permite um combate global que diminui os riscos de contágio pela diminuição do contato físico.

Perspectivas pós-pandemia

Uma vez que a inovação foi aplicada por uma necessidade, podemos ter passado alguns anos de relutância em haver aprovação para essas práticas. A demanda em relação aos infectados pela Covid-19 abriu as portas para prática desse tipo de Medicina, estreitando os laços da distância entre o paciente e médico.

Uma vez que o retrocesso é uma perspectiva inviável, acredita-se que a ideia seja manter esses métodos apoiados na tecnologia para prática médica. A expectativa é que a efetividade durante a pandemia mostre a viabilidade de se colocar a tecnologia em favor da Medicina.

Isso possibilita a chegada de profissionais da saúde em diferentes espaços como área carentes, que normalmente não teriam facilidade em assistência médica.

Esse é apenas um dos apelos em torno da Telemedicina e da Telerradiologia, não apenas facilitar o acesso, como também torná-lo possível onde não haveria atendimento.

Mundo pós-pandemia

Há diversas perspectivas quando o assunto é o mundo pós-pandemia, dentre eles o uso de métodos empregados agora para o atendimento de pessoas infectadas. Os novos modelos de trabalho, flexibilização por parte de empregadores com o uso de home office, por exemplo, apresenta maior popularidade no cenário após a pandemia.

O interesse de grande parte não apenas de profissionais ligados à Medicina, como também tecnologia, em diversas áreas, é que novas portas estejam abertas também nesse segmento. A perspectiva é que o Ministério da Saúde flexibilize a legalidade para além da pandemia atual.


Você ficou interessado? Preencha o formulário e entraremos em contato!

Compartilhe essa Publicação

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email