Interessado na Plataforma?

Como os Radiologistas estão enfrentando a pandemia?

Interessado na Plataforma?

Como os Radiologistas estão enfrentando a pandemia?

Compartilhe essa Publicação

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Como os Radiologistas estão enfrentando a pandemia?

A chegada da Covid-19 deixou ainda mais evidente o que todos nós já sabíamos: a importância dos profissionais da saúde. Nos últimos meses, então, eles viraram heróis na luta para frear o avanço das mortes provocadas pelo novo coronavírus.

Uma das principais formas de diagnosticar e controlar a doença é o exame de imagem, capaz de apontar os danos no pulmão de pacientes contaminados. No entanto, você sabia que os radiologistas foram dispensados da linha de frente desse combate? 

Radiologistas são técnicos especializados que realizam exames como tomografia, raio X e ressonância magnética. Não foram considerados essenciais por causa do cancelamento de muitos exames eletivos — para evitar aglomerações e cumprir as regras de isolamento social. Além disso, o diagnóstico da Covid-19 vem sendo realizado através de exames clínicos e laboratoriais. 

Afinal, qual é o papel da radiologia no combate à Covid-19?

O novo coronavírus afeta o trato respiratório. Uma vez contraído, ele pode provocar infecção nos pulmões — um sintoma comum a várias doenças, como a pneumonia viral, por exemplo. Para evitar o equívoco no diagnóstico — e apontar o tratamento adequado à cada paciente —, também é indicada a realização de exame de imagem. 

Pacientes crônicos

Precisamos lembrar que exames de imagem são importantes para diagnóstico e tratamento de diversas doenças. São indispensáveis, por exemplo, para pacientes com câncer e problemas cardiovasculares. Existem estudos que apontam o crescimento no número de casos de doenças crônicas — e mortes em decorrência dessas doenças — por falta de tratamento adequado e cancelamento de exames durante a quarentena.

Telerradiologia permite um acompanhamento hibrido: uma solução que pode salvar vidas

O serviço remoto de radiologia foi regulamentado em 2018, mas ganhou ainda mais força durante a pandemia. A chamada telerradiologia permite um acompanhamento híbrido — presencial e pela internet. Dessa forma, o paciente não precisa retornar ao consultório ou hospital para receber o diagnóstico. Além disso, preserva postos de trabalho para profissionais da radiologia.

Funciona da seguinte forma: depois que o radiologista realiza o exame presencial, ele armazena a imagem em uma nuvem e direciona ao médico responsável — onde ele estiver — através da plataforma online Dr. TIS. O médico, então, analisa as imagens, faz as medidas e emite o laudo para o paciente, que recebe as informações em casa, pela internet

A plataforma Dr. TIS pode ser acessada por todos os envolvidos no processo porque é segura e possui software exclusivo, desenvolvido pela própria empresa. Imagens, laudos e informações compartilhadas entre radiologistas, médicos e pacientes são criptografados de ponta a ponta e podem ficar armazenados por anos — o que permite acompanhar a evolução do tratamento.

Esse serviço está disponível para hospitais, clínicas, operadoras de saúde e profissionais autônomos. Se você quer conhecer a tecnologia, não perca tempo e cadastre-se preenchendo o formulário!

Compartilhe essa Publicação

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email